CLÉRIO'S HOME PAGE
CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT´ANNA                                             VOLTAR

ACADELA
HOME PAGE DO PALAVRÃO
Eis o que tenho a explicar:
Isto aqui só lê quem gosta.
E a quem ler e não gostar,
Permito que vá à bosta.

A mulher, no ônibus cheio,
Lotado em último grau,
Esfregava em mim o seio
E se agarrava a meu pau.
Autor: Rocha Ramos (MG/ES)

ACADELA
ACADEMIA ESCABROSA
DE LETRAS E ARTES


Fundada no dia 02 de Outubro de 1988
Recife, Pernambuco, Brasil
Folclore Brasileiro

ACADELA
HOME PAGE DO PALAVRÃO

Para ser sócio da ACADELA, mande por e-mail: Nome completo, Data de Nascimento, com idade, Escolaridade, E-mail, Endereço completo com Cep e mais dez reais em selos dos Correios de 2º porte. Seu nome vai para a lista de sócios nesta página. Depois que o seu nome entrar na lista, aguarde 40 dias para receber um pequeno Diploma de Sócio da ACADELA. Mande sua opinião sobre a Trova Escabrosa e o palavrão. Se você conhece alguma Trova Escabrosa ou de Banheiro, mande para nós.

TROVAS ESCABROSAS DE ROCHA RAMOS
Atenção: Esta página contém palavrões!!!

José Rocha Ramos, professor aposentado, poeta, trovador, prosador, nasceu em Minas Gerais, a 04/03/1931, porém radicou-se no Espírito Santo. Tanto em seus versos quanto em sua prosa cultivou, irreverentemente, temas sociais, políticos e filosóficos que, quase sempre, estão envolvidos em suas sátiras mordazes e em seu humorismo erótico. Foi o mais fértil trovador erótico de sua geração. Casou com Eli Alves Leite, hoje Eli Alves Rocha. Em 1983, integrou-se ao Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, de Vitória, ES. Na foto acima, de 1984, Eno Teodoro Wanke, com o Mestre Rocha Ramos e Clério José Borges, de bigode. Os três assistidos por dois estudantes que recepcionavam Eno em frente ao Aeroporto de Vitória, no dia em que Eno recebeu o Título de Cidadão Espirito-santense, na Assembléia Legislativa Estadual, título de autoria do Deputado Antônio Moreira, a pedido de Clério José Borges.

Faleceu na manhã de 9 de Dezembro de 1989.

Publicou os livros "Bicho Bom", Trovas, Vitória, 1986 e "Cem Trovas Sem Vergonha", Vitória, Agosto de 1986.
Estes dois livros foram lançados no dia 04 de Outubro de 1986, em solenidade realizada na Biblioteca "Audifax Amorim", localizada no Centro Comercial Carmélia Maria de Souza, com início às 16,00 horas, numa promoção do Clube dos Trovadores Capixabas, CTC.

Obras: "Bicho bom" - trovas "Cem trovas sem-vergonhas" - trovas Participação na Antologia da Trova Escabrosa, de Eno Teodoro Wanke, edição da FEBET (Federação Brasileira de Entidades Trovistas), 1987



Abaixo algumas Trovas do Livro, já esgotado, "Cem Trovas Sem Vergonha", um livro pioneiro, já que é o primeiro livro inteiramente de Trovas Escabrosas.

É um mulherão de dar gosto,

Obra divina e do diabo:

O que Deus lhe pôs no rosto,

Pôs-lhe o demônio no rabo.


Do adorno até a comida;

Do Uísque até o Sorvete;

Tudo sobe nesta vida,

Só não sobe o meu cacete.


Se não quer ser mãe solteira,

Vá tocando siririca

E deixe seu cu à inteira

Disposição de uma pica.


Eis o meu ponto de vista

Que acho ser abalizado:

Lá no fundo, o moralista

É um indecente frustrado.


Só come do que não gosta,

Seu viver é um desespero:

Pobre só não come bosta

Porque não acha tempero.


Vida de pobre é sacana:

Tem tanto azar e avaria

Que se merda fosse grana,

O pobre não cagaria.


Em nos causar sensação

Toda banhista é fecunda.

Ai, meu Deus, haja tesão

Para cobrir tanta bunda!


Ela sabe que é gostosa,

Escultural, sem defeitos.

Por isso, toda melosa,

Mostra o rabo e exibe os peitos.


Se a mulher gemesse fundo

Toda a vez que ela nos trai,

Só se ouviria no mundo

Ui-ui-ui e ai-ai-ai.


As briguinhas de um casal

Que em verdade ainda se ama,

Findam de noite e, em geral,

Quando os dois estão na cama.


Após tudo, posso, enfim,

Proclamar alto e bom som:

Esposa é bicho ruim,

Mas mulher é bicho bom.


Tive um azar do capeta,

Perdi todo o meu trabalho:

Plantei um pé de boceta

Que produziu só caralho.


De ser um bom fodedor,

Com prazer, carrego a fama:

Por dinheiro ou por amor,

Eu sempre dou show na cama.


Brincamos de passarinhos

Desde os tempos de fedelhos,

E hoje boto meus ovinhos

No ninho de seus pentelhos.


Adão masturba, e o capeta,

Vendo aquilo se incomoda:

- Se Deus criou a punheta,

Farei melhor, crio a foda.


Por ser muito fedorenta

A boceta da Clarita,

Meu caralho não aguenta:

Quando entra nela, vomita.


- Minha deusa, minha amada,

Adoro você, querida!...

- Não quero ser adorada:

Eu quero ser é fodida!


Quando pequeno, eu tocava

Piston, Flauta, Clarineta...

E em tudo desafinava,

Até tocando punheta.


Ao ver a bunda da Aída,

Bunda boazuda e tão bela,

Eu não tive outra saída

A não ser a de entrar nela.


- Que é mulher BBC?

- É a mulher que sem tabu,

Na foda deixa à mercê

A Boceta, a Boca e o Cu.


Ó minha querida Aurora,

Quando eu toco uma punheta,

No fim, meu cacete chora

Lembrando de sua boceta.


No Paraíso, Satã,

Num belo fim de semana,

Fez Adão comer maçã,

E a Eva engolir banana.


O mundo e sua corja toda,

A mim, pouco se me dão:

Eles querem que eu me foda,

Já que fodidos estão.


É um bicho todo às avessas

O tal do sessenta e nove,

Pois tem um par de cabeças

Que entre suas pernas se move.


Sou forte como Sansão

E adoro quebrar cabaço.

De pedra é meu coração

E minha piroca, de aço.


Ante uma foda mal dada,

Ainda que boa a boceta,

É melhor uma gozada

Tocando bela punheta.


A mulher, no ônibus cheio,

Lotado em último grau,

Esfregava em mim o seio

E se agarrava a meu pau.


Com a vizinha trepando,

Eu dava um completo show...

Estava quase gozando...

Minha esposa me acordou.


A noviça no fogão

Se queima e diz: - Ó trabalho!...

Fodi toda a minha mão!...

Puta merda, que caralho!...


Mesmo não sendo bem tocada,

Eu não quero mais punheta:

Prefiro foda mal dada

Em qualquer uma boceta.


Jamais amará, de fato,

A geração de proveta,

Porque não houve o contato

Entre o caralho e boceta.


Se não quer ser mãe solteira,

Vá tocando siririca

E deixe seu cu à inteira

Disposição de uma pica.


- Foda, cara, o quanto pode.

Foda muito nesta vida!

Nesta vida, quem não fode

Leva um vida fodida.


Convém manter-se em alerta

Para o que abaixo asseguro:

Amor é boceta aberta

Para um caralho bem duro.


Dando tapas na boceta,

Diz-nos a bêbada inquieta:

- Dou a qualquer picareta

Que venha de pica reta.


José Rocha Ramos era filho do agricultor Otacir Rocha Ramos e sua mulher Eva.

Nasceu a 4 de março de 1931 mas só foi registrado a 4 de Dezembro.Trabalhou e estudou em Montes Claros. Em 1950 mudou-se para Belo Horizonte, onde passou a lecionar. Casou com Eli Alves Leite, tabeliã e vereadora da cidade de Jequitaí.

Instalou-se em Jequitaí. Foi eleito Vereador. Em 1962 ingressou na Academia Mineira da Trova. Foi eleito Vice-Prefeito de Jequitaí e quando o Prefeito Daniel Gomes da Fonseca foi cassado pela Revolução de 64, Rocha assumiu a Prefeitura.

Renunciou ao cargo de Prefeito quando Políticos locais queriam que ele roubasse o dinheiro do povo. Em 1978 mudou-se para Vitória-ES. Em 1983, num sábado de manhã, ao fazer a feira, deu com uma multidão de Trovadores em cima de um palanque na praça. Era o III Seminário Nacional da Trova, organizado pelo Clube dos Trovadores Capixabas, CTC, de Vitória, ES.

Uniu-se a partir daí a Clério José Borges e Eno Theodoro Wanke, participando ativamente do Movimento do Neotrovismo Brasileiro.

Faleceu na manhã de 9 de Dezembro de 1989. Publicou, "Bicho Bom", Trovas, Vitória, 1986 e "Cem Trovas Sem Vergonha", Leitura proibida para menores e não recomendada aos moralistas em geral. Vitória. Agosto de 1986.



OBSERVAÇÃO: Permitimos a livre reprodução do conteúdo e agradecemos a citação da fonte com a inclusão de nosso link, se possível.
Fonte de Pesquisa:
Borges, Clério José - Livro Dicionário Regional de Gírias e Jargões. (Livro proibido para menores de 18 anos por conter Palavrões.) - 2010 - Editora Canela Verde - À Venda na Livraria Doce Saber, Laranjeiras, Serra ES - Tel.: 27 - 32 81 24 89
Wanke, Eno Teodoro - Antologia da Trova Escabrosa, 1a. Edição - 1987 - Rio de Janeiro - Edições da FEBET - Federação Brasileira de Entidades Trovistas - Pedidos por Carta - Rua General Glicério, 407 Ap. 602 - Rio de Janeiro - RJ - 22245 - 120. (Edição Limitada).



Envie suas sugestões
Seja sócio da ACADELA

VOLTAR

PARA A PÁGINA PRINCIPAL


Copyright © 2003 / 2012 - All Rights Reserved: CJBS