CLÉRIO'S HOME PAGE
CLÉRIO JOSÉ BORGES DE SANT´ANNA                                             VOLTAR

 

História das Copas do Mundo

De quatro em quatro anos, seleções de futebol de diversos países do mundo se reúnem para disputar a Copa do Mundo de Futebol. 

A competição foi criada pelo francês Jules Rimet, em 1928, após ter assumido o comando da instituição mais importante do futebol mundial: a FIFA (Federation International Football Association).

A primeira edição da Copa do Mundo foi realizada no Uruguai em 1930. Contou com a participação de apenas 13 seleções, que foram convidadas pela FIFA, sem disputa de eliminatórias, como acontece atualmente. A seleção uruguaia sagrou-se campeã e pôde ficar, por quatro anos, com a taça Jules Rimet.

Nas duas copas seguintes (1934 e 1938) a Itália ficou com o título. Porém, entre os anos de 1942 e 1946, a competição foi suspensa em função da eclosão da Segunda Guerra Mundial.

Em 1950, o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo. Os brasileiros ficaram entusiasmados e confiantes no título. Com uma ótima equipe, o Brasil chegou à final contra o Uruguai. A final, realizada no recém construído Maracanã (Rio de Janeiro - RJ) teve a presença de aproximadamente 200 mil espectadores. Um simples empate daria o título ao Brasil, porém a celeste olímpica uruguaia conseguiu o que parecia impossível: venceu o Brasil por 2 a 1 e tornou-se campeã. O Maracanã se calou e o choro tomou conta do país do futebol.

O Brasil sentiria o gosto de erguer a taça pela primeira vez em 1958, na copa disputada na Suécia. Neste ano, apareceu para o mundo, jogando pela seleção brasileira, aquele que seria considerado o melhor jogador de futebol de todos os tempos: Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.

Quatro anos após a conquista na Suécia, o Brasil voltou a provar o gostinho do título. Em 1962, no Chile, a seleção brasileira conquistou pela segunda vez a taça.

Em 1970, no México, com uma equipe formada por excelentes jogadores ( Pelé, Tostão, Rivelino, Carlos Alberto Torres entre outros), o Brasil tornou-se pela terceira vez campeão do mundo ao vencer a Itália por 4 a 1. Ao tornar-se tricampeão, o Brasil ganhou o direito de ficar em definitivo com a posse da taça Jules Rimet.

Após o título de 1970, o Brasil entrou num jejum de 24 anos sem título. A conquista voltou a ocorrer em 1994, na Copa do Mundo dos Estados Unidos. Liderada pelo artilheiro Romário, nossa seleção venceu a Itália numa emocionante disputa por pênaltis. Quatro anos depois, o Brasil chegaria novamente a final, porém perderia o título para o pais anfitrião: a França.

Em 2002, na Copa do Mundo do Japão / Coréia do Sul, liderada pelo goleador Ronaldo, o Brasil sagrou-se pentacampeão ao derrotar a seleção da Alemanha por 2 a 0.

Em 2006, foi realizada a Copa do Mundo da Alemanha. A competição retornou para os gramados da Europa. O evento foi muito disputado e repleto de emoções, como sempre foi. A Itália sagrou-se campeã ao derrotar, na final, a França pelo placar de 5 a 3 nos pênaltis. No tempo normal, o jogo terminou empatado em 1 a 1.

Em 2010, pela primeira vez na história, a Copa do Mundo foi realizada no continente africano. A África do Sul foi a sede do evento que ocorreu entre os dias 11 de junho e 11 de julho de 2010. A Espanha tornou-se, pela primeira vez na História, campeã mundial.

Em 2014, a Copa do Mundo será realizada no Brasil. O evento retornará ao território brasileiro após 64 anos, pois foi em 1950 que ocorreu a última copa no Brasil.

Curiosidades sobre a História da Copa do Mundo de Futebol 

- O recorde de gols numa mesma Copa é do francês Fontaine com 13 gols (marcados na Copa de 1958). Já o recorde geral da História de todas as Copas é do brasileiro Ronaldo com 15 gols.

- O Brasil é o único país que participou de todas as Copas do Mundo;

- O Brasil é o país com mais títulos conquistados: total de cinco;

- A Itália foi quatro vezes campeã mundial. A Alemanha foi três vezes, seguida das bi-campeãs Argentina e Uruguai. Inglaterra e França possuem apenas um título cada;

- A Copa do Mundo é o segundo maior evento esportivo do planeta;

- As Copas do Mundo da França (1998) e Japão / Coréia do Sul (2002) foram as únicas que tiveram a participação de 32 seleções. A Copa do Mundo da Alemanha 2006 teve o mesmo número de seleções participantes.

Os campeões de todos os tempos

Uruguai (1930) / Itália (1934) / Itália (1938) / Uruguai (1950) / Alemanha (1954) / Brasil (1958) / Brasil ( 1962) / Inglaterra ( 1966) / Brasil (1970) / Alemanha (1974) / Argentina (1978) / Itália (1982) / Argentina (1986) / Alemanha (1990) / Brasil (1994) / França (1998) / Brasil (2002), Itália (2006), Espanha (2010).

Sugestões de leitura:

- Os 50 Maiores Jogos das Copas do Mundo - Paulo Vinicius Coelho, Panda Books

- Moderno Almanaque das Copas do Mundo - Gláucia Parreira, Yendis

- Copas do Mundo: Histórias e Estatísticas - Luiz Fernando Baggio Monclar, Axcell Books

- Brasil em Copas do Mundo - Barbosa Filho, Panoramas do Saber.

 

COPA DO MUNDO NA ÁFRICA DO SUL EM 2010
ESPANHA CAMPEÃ DA COPA DO MUNDO 2010

Iniesta vira herói e Espanha conquista a Copa do Mundo. Vitória sobre a Holanda veio depois de quase 120 minutos de jogo. A Fúria vence a Laranja.

A Copa do Mundo é da Espanha. O dia 11 de julho de 2010 eternizou um novo e merecido campeão. Depois de 64 jogos, 145 gols e um mês de bola rolando na África do Sul, a Espanha marcou 1 a 0 em cima da Holanda na prorrogação.
Com gol de Iniesta, a Espanha conquista a sua inédita Copa e será a primeira seleção europeia a levatar a taça do Mundial fora do velho continente.
Na Foto da AFP, Casillas beija a taça.

Após o gol marcado, Iniesta tirou a camisa da Espanha e mostrou uma mensagem na camiseta: Trata-se de uma homenagem a Dani Jarque, ex-jogador e capitão do Espanhol, que morreu vítima de um ataque cardíaco fulminante em agosto do ano passado, com 26 anos.
Jarque passou pelas categorias de base da seleção espanhola. A mensagem de Iniesta dizia: "Dani Jarque, sempre conosco".
A conquista veio na prorrogação, após o placar ter ficado inalterado no tempo normal e durante boa parte da prorrogação. Em um jogo marcado pela marcação por muitas vezes violenta da Laranja, e por uma arbitragem pavorosa de Howard Webb, coube a Iniesta brilhar pela Fúria ao marcar o gol do título.



FICHA TÉCNICA

HOLANDA 0x1 ESPANHA

ESTÁDIO: Soccer City, Johanesburgo, África do Sul
DATA E HORA: Domingo, 11 de julho de 2010, às 15h30 (de Brasília)
ÁRBITRO: Howard Webb (ING)
PÚBLICO: 84.490 pagantes
CARTÕES AMARELOS: De Jong, Van Persie, Van Bommel, Van Bronckhorst, Heitinga, Robben, Van der Wiel, Mathijsen (HOL); Puyol, Sergio Ramos, Capdevilla, Xavi (ESP)
CARTÃO VERMELHO: Heitinga, 4'/2ºTP
GOLS: Iniesta, 12'/2ºTP

HOLANDA: Stekelenburg; Van der Wiel, Heitinga, Mathijsen, Van Bronckhorst (Braafheid, 15'/1ºTP); Van Bommel, De Jong (Van der Vaart, 9'/1ºTP) , Sneijder; Kuyt, Van Persie e Robben (Elia, 25'/2ºT)
T: Bert Van Marwijk

ESPANHA: Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Puuyol, Capdevilla; Xabi Alonso (42'/2ºT), Busquets, Xavi, Iniesta; Pedro (Jesús Navas, 15'/2ºT) e Villa (Torres, intervalo da prorrogação)
T: Vicente del Bosque

DETALHES DA FICHA TÉCNICA

Holanda 0 x 1 Espanha

Gol

Espanha: Iniesta, aos 11min do 2º tempo da prorrogação

Ponto Forte da Holanda

Muita velocidade nos contra-ataques, principalmente com Robben, que deu muito trabalho à defesa espanhola

Ponto Forte da Espanha

Passes precisos no meio de campo, com muita movimentação de Xavi e Iniesta

Ponto Fraco da Holanda

Novamente deixou Van Persie isolado no ataque brigando com toda a zaga

Ponto Fraco da Espanha

Não teve o domínio do jogo como está acostumado, principalmente no segundo tempo

Personagem do jogo

Iniesta, que marcou o gol histórico do título espanhol

Lance polêmico

De Jong deu entrada violenta com a sola no peito de Xabi Alonso aos 28min do primeiro tempo, mas recebeu apenas cartão amarelo

Lance bizarro

De Jong tentou devolver a bola para a Espanha aos 33min do primeiro tempo e quase encobriu Casillas, que teve que espalmar para escanteio

Esquema Tático da Holanda

4-2-3-1

Stekelenburg; Van der Wiel, Heitinga, Mathijsen e Van Bronckhorst (Braafheid); Van Bommel e De Jong (Van der Vaart); Robben, Sneijder e Kuyt (Elia); Van Persie. Técnico: Bert van Marwijk

Esquema Tático da Espanha

4-2-3-1

Casillas; Sergio Ramos, Piqué, Puyol e Cadpevila; Busquets e Xabi Alonso (Fàbregas); Pedro (Jesús Navas), Xavi e Iniesta; David Villa (Fernando Torres). Técnico: Vicente del Bosque

Cartões amarelos

Holanda: Van Persie, Van Bommel, De Jong, Van Bronckhorst, Heitinga, Robben, Van der Wiel e Mathijsen

Espanha: Puyol, Sergio Ramos, Capdevila, Iniesta e Xavi

Cartão vermelho

Holanda: Heitinga

Árbitro

Howard Webb (ING)

Local

Estádio Soccer City, Johannesburgo



Após 64 partidas,chega ao fim a 19ª Copa do Mundo e desta vez,com uma final inédita e um campeão inédito a Seleção da Espanha.
A Espanha que iniciou a competição perdendo,chegou até aqui não diria eu como grande favorita,mas naquele grupo de seleções candidatas a atrapalhar a chance de título entre as chamadas grandes.Com jogo bastante disputado,onde a melhor defesa jogou contra o melhor ataque,venceu a Espanha,que na segunda etapa da prorrogação,conseguiu com Iniesta,o gol do título.
Numa copa onde teve de tudo - A Jabulani (nome da bola usada em campo), que abusou e deu sua contribuição boa ou ruim para os participantes; O mascote simpático Zakumi que agitou a torcida nos jogos,as incansáveis Vuvuzelas que devem deixar muita gente sem escutar bem e até Paul,o polvo mais festejado por uns e odiado por outros nas últimas semanas,fizeram esta ser inesquecível!
A Holanda veio para final sem ter perdido nenhuma partida,entre elas,a que eliminou o Brasil da busca pelo Hexa.Já a Fúria,veio vencendo seus adversários pelo cansaço,nos momentos cruciais e na maioria das vezes por escores mínimos - 1 x 0.


O atacante uruguaio Diego Forlán foi eleito pela Fifa como o melhor jogador da Copa do Mundo da África do Sul. Aos 31 anos, o jogador do Atlético de Madrid foi grande destaque da histórica campanha da Celeste, a melhor desde 1970.
Deslocado de posição, atuando mais na armação, Forlán chamou a responsabilidade e levou os uruguaios ao ataque ainda marcou cinco gols, se tornado artilheiro do Mundial ao lado de Thomas Müller, David Villa e Wesley Sneijder. Na disputa da terceiro lugar, a seleção perdeu, mas Forlán completou sua trajetória com um golaço de voleio. Apesar da derrota, o atacante destacou a importância de terminar entre os quatro melhores.
"Terminar entre os quatro primeiros é algo espetacular. A princípio, nunca tinha pensado em viver um momento assim. Agora acabou, é hora de descansar. Foi espetacular ver tantas camisas e bandeiras uruguaias no estádio", celebrou Forlán.


O apoiador alemão Müller foi eleito pela Fifa o Melhor Jogador Jovem da Copa do Mundo deste ano, na África do Sul. O jogador de 20 anos, que atua pelo Bayern de Munique (ALE), levou a melhor sobre o mexicano Giovani dos Santos e o ganense Ayew.
Müller teve participação decisiva na campanha alemã no Mundial. Mesmo jogando como meia, dividiu a artilharia do torneio com o espanhol David Villa, o holandês Sneijder e o uruguaio Forlán. Cada um marcou cinco gols na Copa.
Ao lado do também meia Özil, Müller foi um dos destaques da Alemanha na competição. Prova disso é que ficou fora de apenas uma partida - justamente a derrota por 1 a 0 para a Espanha, já nas semifinais.
Ao contrário da Bola de Ouro da Copa, em que jornalistas escolhem o melhor jogador do torneio, o prêmio de revelação é definido pelo Grupo de Estudos Técnicos (GET) da Fifa, que conta com ex-jogadores, técnicos e outros especialistas.
A marca de quatro gols e três assistências em cinco partidas da Copa do Mundo mostra a importância de Thomas Müller para a campanha da Alemanha no Mundial. As atuações do meio-campo de 20 contribuíram para que a equipe comandada por Joachim Löw chegasse às semifinais, onde foi derrotada pela Espanha por 1 a 0. O atleta acabou assistindo do banco à queda diante dos espanhóis por ter recebido o segundo cartão amarelo no jogo anterior, contra a Argentina. Dos três candidatos, o jovem ainda participou da competição disputando e ganhando o terceiro lugar contra o Uruguai no sábado, dia 10/07/2010..

Ausente durante todo o mês, Nelson Mandela acabou sendo o protagonista da festa de encerramento da Copa do Mundo de 2010. O ex-presidente da África do Sul que ficou marcado por ser o principal representante do apartheid iria participar da festa de abertura, mas acabou deixando as comemorações de lado para lamentar a morte de sua bisneta, que não resistiu a um acidente de trânsito.


A campanha espanhola foi marcada pelo domínio de bola e a constante troca de passes no meio campo, com Xavi e Iniesta na armação das jogadas, assim como acontece no Barcelona (time em que joga a dupla). O atacante David Villa, recentemente contratado pelo Barça, assumiu o papel de goleador da equipe e fez cinco dos oito gols de sua seleção no torneio.
Como de costume, a Espanha iniciou a Copa sob enorme favoritismo. Porém, a equipe foi a única entre as grandes seleções a perder na estreia: 1 a 0 para a Suíça, gerando desconfiança em parte da torcida. O maior medo era conseguir se recuperar, mas avançar às oitavas de final na segunda posição do Grupo H, o que colocaria a Fúria no caminho do Brasil.
O temor não se confirmou. A Espanha passou por Honduras na segunda rodada, com dois gols de Villa. Na terceira partida, foi a vez do Chile perder para os europeus, por 2 a 1 (gols de Villa e Iniesta), deixando a Fúria na primeira posição da chave.
No mata-mata, os espanhóis emendaram uma série de quatro vitórias por 1 a 0. A primeira vítima foi Portugal, com gol de Villa. Em seguida, o Paraguai deu adeus à Copa, novamente com o principal atacante da Fúria definindo o placar. Até então, apesar de dominar a bola durante maior parte do tempo nos jogos, a Espanha ainda não havia deslanchado na competição e deixava dúvidas se poderia ficar com a taça.
Clério José Borges e a comemoração da Copa do Mundo na África do Sul 2010 Nas semifinais, a Alemanha era o primeiro adversário de peso dos espanhóis. Os alemães viram suas maiores estrelas se apagarem na partida. A Espanha também tinha dificuldades, mas conseguiu o gol salvador em cabeçada do zagueiro Carles Puyol.
O duelo contra a Holanda na grande final teria um campeão inédito. A equipe laranja já havia disputado, sem sucesso, duas decisões de Copa (1974 e 1978), e tinha dois jogadores em alta – Sneijder e Robben – para decidir a seu favor. Mas a sorte estava com os espanhóis. Após empate sem gols no tempo normal, o meia Iniesta fez o gol do título e definiu o título inédito da Fúria.


Clério José Borges e a comemoração da Copa do Mundo na África do Sul 2010 Clério José Borges e a comemoração da Copa do Mundo na África do Sul 2010 Clério José Borges e a comemoração da Copa do Mundo na África do Sul 2010
Ver fotos da Galera do bairro Eurico Salles, Carapina, Serra,ES (Rua dos Pombos, onde fica a casa de Clério José Borges), nos Jogos da Copa do Mundo 2010, AQUI



 

HISTÓRICO DA COPA DO MUNDO NA ÁFRICA DO SUL EM 2010
A Copa do Mundo FIFA de 2010 foi a primeira Copa do Mundo FIFA a ser realizada no continente africano.
Apesar do fraco retrospecto em Copas a África do Sul foi escolhida devido a sua infra-estrutura. A seleção sul-africana venceu a Copa Africana de 1996 e participou apenas das Copas de 1998 de 2002, sendo eliminada na primeira fase em ambas as edições. A África do Sul não se classificou para a Copa de 2006 na Alemanha.

Os africanos ainda não chegaram as semifinais das Copas do Mundo, mas aos poucos vão ganhando espaço, como a realização do primeiro Mundial no continente. Desde a primeira vitória do continente com a Tunísia em 78 até a participações inesquecíveis de Camarões em 1990, Nigéria em 1994, Senegal em 2002 e de Gana em 2006.

Sedes da Copa de 2010 na África do Sul: Bloemfontein (Mangaung) | Cidade do Cabo | Durban | Joanesburgo | Nelspruit | Polokwane | Port Elizabeth | Pretória (Tshwane) | Rustenburg


SORTEIO DA COPA

O sorteio da Copa do Mundo de 2010 foi realizado na tarde da sexta-feira, dia 4 de Dezembro de 2009, na Cidade do Cabo, na África do Sul. O Brasil caiu no grupo das fortes seleções de Portugal e da Costa do Marfim, além da Coreia do Norte, a equipe mais fraca da chave.

A boa notícia é que o Brasil caiu no grupo que a comissão técnica da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) avaliava como o mais tranquilo do ponto de vista logístico, pois os dois primeiros jogos serão na mesma cidade, Johannesburgo. A primeira partida será no dia 15 de junho, contra a Coreia do Norte, às 15h30 de Brasília. O segundo jogo, diante da Costa do Marfim, será no dia 20. A terceira partida do Brasil será contra Portugal, em Durban, no dia 25 de junho.

Costa do Marfim é uma seleção desconhecida da maioria, mas que conta com grandes jogadores. Sua maior estrela é o atacante Didier Drogba, do Chelsea, da Inglaterra, considerado um dos melhores do mundo em sua posição. Já Portugal, que sofreu para conseguir sua classificação nas eliminatórias da Europa, tem em Cristiano Ronaldo, companheiro de Kaká no Real Madrid, seu melhor jogador.

Os classificados do grupo G, o que está o Brasil, vão enfrentar na segunda fase as equipes do grupo H, com Espanha, Honduras, Chile e Suíça.Os classificados do grupo G, o que está o Brasil, vão enfrentar na segunda fase as equipes do grupo H, com Espanha, Honduras, Chile e Suíça.


As 32 seleções foram divididas em quatro potes. O primeiro tinha os cabeças de chave do sorteio. O segundo, seleções de Oceania, Ásia e Concacaf. O terceiro, as de África e América do Sul. Por fim, o quarto contava apenas com europeus.

Por ser anfitriã, a África do Sul era a única seleção que já tinha grupo definido, o A. Os demais cabeças de chave foram divididos nos demais grupos. O Brasil caiu no G.

A Seleção teve sorte no segundo pote: escapou de México e Estados Unidos, tendo de enfrentar a Coreia do Norte. No terceiro, no entanto, a situação mudou e a Costa do Marfim caiu no grupo brasileiro.

O quarto pote guardava potências como Holanda e Portugal. E, para azar de Dunga, uma delas caiu no grupo brasileiro. A seleção lusa será adversário.

GRUPO A - África do Sul, México, Uruguai e França
GRUPO B - Argentina, Coreia do Sul, Nigéria e Grécia
GRUPO C - Inglaterra, Estados Unidos, Argélia e Eslovênia
GRUPO D - Alemanha, Austrália, Gana e Sérvia
GRUPO E - Holanda, Japão, Camarões e Dinamarca
GRUPO F - Itália, Nova Zelândia, Paraguai e Eslováquia
GRUPO G - Brasil, Coreia do Norte, Costa do Marfim e Portugal
GRUPO H - Espanha, Honduras, Chile e Suíça

CALENDÁRIO 1ª FASE

Sexta, 11/junho - 11h - África do Sul x México - Joanesburgo (Soccer City)
Sexta, 11/junho - 15h30- Uruguai x França - Cidade do Cabo

Sábado, 12/junho - 8h30 - Argentina x Nigéria - Joanesburgo (Ellis Park)
Sábado, 12/junho - 11h – Coreia do Sul x Grécia - Port Elizabeth
Sábado, 12/junho - 15h30 - Inglaterra x Estados Unidos - Rustenburg

Domingo, 13/junho - 8h30 - Argélia x Eslovênia - Polokwane
Domingo, 13/junho - 11h - Alemanha x Austrália - Durban
Domingo, 13/junho - 15h30 - Sérvia x Gana - Pretória

Segunda, 14/junho - 8h30 - Holanda x Dinamarca - Joanesburgo (Soccer City)
Segunda, 14/junho - 11h - Japão x Camarões - Bloemfontein
Segunda, 14/junho - 15h30 - Itália x Paraguai - Cidade do Cabo

Terça, 15/junho - 8h30 – Nova Zelândia x Eslováquia - Rustenburg
Terça, 15/junho - 11h – Costa do Marfim x Portugal - Port Elizabeth
Terça, 15/junho - 15h30 - Brasil x Coreia do Norte - Joanesburgo (Ellis Park)

Quarta, 16/junho - 8h30 - Honduras x Chile - Nelspruit
Quarta, 16/junho - 11h - Espanha x Suiça - Durban
Quarta, 16/junho - 15h30 - África do Sul x Uruguai - Pretória

Quinta, 17/junho - 8h30 - França x México - Polokwane
Quinta, 17/junho - 11h - Grécia x Nigéria - Bloemfontein
Quinta, 17/junho - 15h30 - Argentina x Coreia do Sul - Joanesburgo (Soccer City)

Sexta, 18/junho - 8h30 - Alemanha x Sérvia - Port Elizabeth
Sexta, 18/junho - 11h - Eslovênia x Estados Unidos - Joanesburgo (Ellis Park)
Sexta, 18/junho - 15h30 - Inglaterra x Argélia - Cidade do Cabo

Sábado, 19/junho - 8h30 - Gana x Austrália - Rustenburg
Sábado, 19/junho - 11h - Holanda x Japão - Durban
Sábado, 19/junho - 15h30 - Dinamarca x Camarões - Pretória

Domingo, 20/junho - 8h30 - Eslováquia x Paraguai - Bloemfontein
Domingo, 20/junho - 11h - Itália x Nova Zelândia - Nelspruit
Domingo, 20/junho - 15h30 - Brasil x Costa do Marfim - Joanesburgo (Soccer City)

Segunda, 21/junho - 8h30 – Coreia do Norte x Portugal - Cidade do Cabo
Segunda, 21/junho - 11h - Chile x Suiça - Port Elizabeth
Segunda, 21/junho - 16h30 - Espanha x Honduras - Joanesburgo (Ellis Park)

Terça, 22/junho - 11h - México x Uruguai - Rustenburg
Terça, 22/junho - 11h - França x África do Sul - Bloemfontein
Terça, 22/junho - 15h30 - Nigéria x Coreia do Sul - Durban
Terça, 22/junho - 15h30 - Argentina x Grécia - Polokwane

Quarta, 23/junho - 11h - Inglaterra x Eslovênia - Port Elizabeth
Quarta, 23/junho - 11h – Estados Unidos x Argélia - Pretória
Quarta, 23/junho - 15h30 - Austrália x Sérvia - Nelspruit
Quarta, 23/junho - 15h30 - Gana x Alemanha - Joanesburgo (Soccer City)

Quinta, 24/junho - 11h - Itália x Eslováquia - Joanesburgo (Ellis Park)
Quinta, 24/junho - 11h - Paraguai x Nova Zelândia - Polokwane
Quinta, 24/junho - 15h30 - Dinamarca x Japão - Rustenburg
Quinta, 24/junho - 15h30 - Camarões x Holanda - Cidade do Cabo

Sexta, 25/junho - 11h - Brasil x Portugal - Durban
Sexta, 25/junho - 11h – Coreia do Norte x Costa do Marfim - Nelspruit
Sexta, 25/junho - 15h30 - Suiça x Honduras - Bloemfontein
Sexta, 25/junho - 15h30 - Espanha x Chile - Pretória

OITAVAS-DE-FINAL

Sábado, 26/Junho - 1A x 2B - Nelson Mandela Bay/Port Elizabeth
Sábado, 26/Junho - 1C x 2D - Rustemburgo

Domingo, 27/Junho - 1D x 2C - Mangaung/Bloemfontein
Domingo, 27/Junho - 1B x 2A - Johanesburgo

Segunda, 28 Junho - 1E x 2F - Durban
Segunda, 28 Junho - 1G x 2H - Johanesburgo

Terça, 29/Junho - 1F x 2E - Tshwane/Pretória
Terça, 29/Junho - 1H x 2G - Cidade do Cabo

QUARTAS-DE-FINAL

Sexta, 02/Julho - 5 x 7 - Nelson Mandela Bay/Port Elizabeth
Sexta, 02/Julho - 1 x 3 - Johanesburgo

Sábado, 03/Julho - 2 x 4 - Cidade do Cabo
Sábado, 03/Julho - 6 x 8 - Johanesburgo

SEMIFINAIS

Terça, 06/Julho - A x C - Cidade do Cabo
Quarta, 07/Julho - B x D - Durban

DISPUTA 3º LUGAR

Sábado, 10/Julho - L1 x L2 - Nelson Mandela Bay/Port Elizabeth

FINAL

Domingo, 11/Julho - W1 x W2 - Johanesburgo





O Brasil é o país que alcançou mais títulos mundiais - cinco (1958,1962,1970,1994 e 2002) - e o único a ter vencido o torneio fora do seu continente. É também o único país a ter participado de todos os Campeonatos. Segue-se a seleção da Itália, tetracampeã (1934,1938,1982 e 2006); a Alemanha, tricampeã (1954,1974 e 1990); os bicampeões Argentina (vencedora em 1978 e 1986) e Uruguai (vencedor em 1930 e em 1950); e, por fim, com um único título, as seleções da Inglaterra, campeã em 1966, e da França, campeã em 1998.
A Copa do Mundo é o segundo maior evento desportivo do mundo, ficando atrás apenas dos Jogos Olímpicos de Verão. É realizada a cada quatro anos, tendo sido sediada pela última vez em 2006 na Alemanha, com a Itália como campeã, ficando a França em segundo lugar, o país organizador a Alemanha em terceiro e Portugal em quarto. Em 2010, terá lugar na África do Sul e, em 2014, o Brasil será o país sede, conforme anúncio da FIFA no dia 30 de outubro de 2007. As últimas três Copas do Mundo tiveram 32 participantes, o que provavelmente será mantido nas próximas competições.



VOLTAR


Copyright © 2010 - 2012 - All Rights Reserved: CJBS